Especial Campos do Jordão (II)

ECOPARQUE PESCA NA MONTANHA

Continuando o especial sobre campos do jordão, aqui vai minha impressão sobre um dos meus locais favoritos: Ecoparque Pesca na Montanha. E atividade é o que não falta por lá, tem arqueria, arvorismo, tirolesa, trilhas, passeio de cavalo, aluguel de mountain bike, artesanato, e, claro, a pesca de trutas. O Parque é bem bonito, e garanto que não se morre de tédio. É claro que cada atividade tem o seu preço, mas pra quem gosta do contato com a natureza, vale a pena passar o dia por lá.

POUSADA

Tem também a pousada, que conta com alguns chalés bem confortáveis, ideal para meu perfil. Os chalés são agrupados dois a dois, mas conseguem manter privacidade, ficam numa parte mais alta do terreno, com vista para o lago.

Apesar de serem projetados inicialmente como pousada para os pescadores (a cama de casal é feita com a junção das duas camas de solteiro mas são bem confortáveis), consegue ter sim um clima romântico, o quarto bem espaçoso, cama bem ampla, com lençóis e travesseiros macios, uma varanda grande também,e com uma poltrona e um pufe para tirar proveito da lareira, com uma boa quantidade de lenha, bem diferente de outros lugares, que oferecem uma mixaria.

A TV é pequenina e a quantidade de canais é limitada, mas não fazem falta. Pros Internet addicted uma péssima notícia, lá não fornecem acesso, e nem tem sinal de celular, mas é ótimo pra quem quer se desligar totalmente do mundo urbano.

Tem uma banheira muito boa com chuveiro bem quente e generoso, no estilo americano, e com o mimo do aquecedor de toalhas, quase indispensável numa noite fria.

A pousada não tem lobby, a recepção fica na lanchonete do parque, mas em compensação tem um ambiente no restaurante bem acolhedor, com uma grande lareira, um bom sofá pra se esparramar, fazer leituras, jogar um joguinho disponível para emprestar, ou contar causos pros amigos.

fonte: site pesca na montanha

O Café da manhã é normal, com frutas, bolos, pães, frios, suco, mas o diferencial é poder pedir ovos mexidos, queijo quente feitos na hora.

É ideal pra quem quer se desligar um pouco do clima da cidade, e gosta de muitas atividades ao ar livre, e gosta do clima de friozinho da montanha. O grande problema é a distância da cidade, quase 20km de estrada asfaltada, mas bem sinuosa e estreita.

RESTAURANTE PESCA NA MONTANHA

Para repor as energias que se gastam nas atividades do parque, pode-se contar com o restaurante do parque, que em finais de semana e feriados no almoço, oferece um Buffet com saladas, pratos com trutas, uma área de massas e sobremesas. Nos demais horários, tem o sistema A La carte.

fonte: site pesca na montanha

Pra quem gosta de muita quantidade de comida, o buffet é perfeito, tem muitos pratos com ingredientes locais como o pinhão, truta criada no próprio lugar, alguns pratos gourmet criados pelo Chef Bijou, mas nada muito marcante ou imperdível. Talvez, os patês feitos com truta defumada e o acarajé de truta chamem mais atenção, então talvez valha mais a pena os pratos À La carte, mas corre-se o risco de ter seu prato preparado com a comida exposta no bufê. Fora dos horários de Buffet, uma boa escolha foi o velouté de truta defumada e a truta com molho de amoras.

O Salão do restaurante é bem agradável, decorado com muita madeira, com uma varanda bem ampla para quem quer saborear sua comida ao ar livre de frente com o lago.

Pra quem já está aproveitando o dia no parque é um bom restaurante, mas um pouco caro.

Preços: Pousada em torno de R$ 210,00 o casal com café da manhã e  o Buffet em torno de R$ 50,00 por pessoa.

http://www.pescanamontanha.com.br

Estrada da campista, km 18 Entre Campos do Jordão e São Bento do Sapucaí.

Atentem para o horário de funcionamento durante a baixa temporada: Abrem de sexta a domingo.

ESPECIAL CAMPOS DO JORDÃO (I)

Chegando a temporada de baixas temperaturas, nada como citar o destino preferido de todos os paulistas no inverno… (e o meu também, durante o ano todo!)

O clima frio, gente mais juntinha, comida mais gordinha, o céu mais azul, cheirinho de lareira, fazem do outono e inverno as minhas estações preferidas, e Campos do Jordão remete a tudo isso.

Parque Hotel

O parque hotel é bem fácil de ser localizado, ele é praticamente um marco arquitetônico na paisagem de construcões de estilo enxaimel, constrastando-se com suas linhas modernistas. E sim, ao entrar no lobby, é como se fosse uma viagem no tempo, de volta aos anos 60 e 70, e se não dispõe de requinte, pelo menos mantém seu charme.

Uma boa reforma em todos os ambientes com certeza seria bem vinda, e a troca de alguns móveis também, o que é o caso da cama. Os apartamentos tem um tamanho considerável, bem espaçosos, com armário bem grande, frigobar, uma salinha com vista romântica para o bairro do capivari, equipada com uma mesinha, mas prepare-se para o frio: somente um aquecedor elétrico para as noites mais frias não será suficiente. O banheiro não é muito confortável, tem um arranjo bem estranho, e metais um tanto antigos- pode fazer parte do charme, mas poderia ser um pouco mais funcional.

A localização é ótima, perto o suficiente para uma pequena caminhada até o burburinho de capivari, pra sentir o friozinho gostoso e entrar no clima, e longe o bastante pra quem não quer ser incomodado pelo mesmo burburinho.

Prós: um dos mais em conta em capivari, tem café da manhã bem completo, localização excelente, apartamentos enormes. Contras: necessita de uma bela reforma, banheiro desconfortável.

—–

Pra quem quer ficar em Capivari, mas sem ser incomodado pelo barulho, e não precisa do conforto máximo de cama e chuveiro, vai achar o custo/benefício ótimo.

http://www.parquehotel.com.br

Av. Jose de Oliveira Damas, 371 – Capivari

Barito

O Barito fica também em Capivari, com enfoque na culinária espanhola. Como a maioria dos restaurantes da cidade, com sua vocação turística, os ambientes são bem charmosos e convidativos.

Optamos pela tortilla, que nada mais é do que uma omelete. Nada de extraordinário… O prato principal foi o cuscuz marroquino com medalhão de filet poivre (acho que nem existe mais no cardápio), o cuscuz temperado com molho curry estava muito bom, e inesquecível mesmo.

Mas o destaque fica mesmo para a sobremesa, que deixa muitas saudades: O fondue de chocolate com churros. Churros sequinhos, leves, crocantes, salpicados com canela e açúcar e mergulhados no chocolate derretido, é de deixar qualquer um com água na boca.

Não é muito barato, mas recomendadíssimo o churros com fondue. Deve sair por volta de R$ 75 reais por pessoa, dividindo o prato principal e a sobremesa.

http://www.baritogourmet.com.br

Av. Macedo Soares, 495 – Vila Capivari

Leite na Pista

O Leite na Pista não fica na cidade, pelo contrário, fica bem longe de Campos do Jordão, mas fica bem no caminho, logo no começo da Rodovia SP-123, que faz a ligação a Taubaté. Mas é uma das nossas paradas obrigatórias, quando não se tem pressa de chegar na montanha.

Clima de fazenda, bem tranquilo, pode-se fazer as refeições à beira do lago, bem bucólico mesmo. Se chegar a tempo, pode fazer o café da manhã com omelete, panquecas ou torradas, mas o destaque são os sanduíches com pães caseiros e diferentes queijos (Baurus).

Se não quiser fazer a parada na ida, pode fazer na volta, há vários artesanatos de lembrancinha e produtos locais.

http://www.leitenapista.com.br

Rod. Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123), km 10. Tremembé – SP

Hotel 10 – CIC- Curitiba

Hall do hotel 10 fonte: site do hotel

Na primeira vez que fomos a Curitiba, escolhemos o hotel 10, pelo preço, e por aceitar pets, mediante uma pequena taxa.

vista externa

O ponto fraco deste hotel é a localização, bem fora de qualquer eixo turístico, e é bem chato de encontrar, para quem não conhece direito a cidade. Muito distante do centro, às marges da Rodovia BR 376, complicado de se chegar, então leve seu GPS! O serviço se mostrou cordial, apesar do horário, quase meia noite (chegamos tarde pela dificuldade em achar o hotel). Na época, não sei agora, o hotel não oferecia serviço de quarto nem restaurante ou bar, mas há vending machines, máquina de café, microondas e muitos folhetos de serviços de entrega. O café da manhã incluso na diária nem é servido nas dependências do hotel, e sim numa churrascaria vizinha.

O quarto foi uma boa surpresa, pelo preço que pagamos: espaçoso, com frigobar, TV, ar condicionado, duas camas de casal, com jeito de bem novo… O banheiro também impecável, confortável, com um ótimo chuveiro, quentinho e boa pressão.

———-

Altamente recomendado se a localização não for o mais importante, ou se estiver somente de passagem pela cidade.

http://www.hotel10.com.br/
Endereço: BR 376 km 599 Av Juscelino Kubitschek de Oliveira , 10895
Bairro: Cidade Industrial de Curitiba
Diária para casal: por volta de R$150

HAMATSU – FOZ DO IGUAÇU

Brasil

Garganta do Diabo - Lado Brasileiro

Um grande achado, fora do eixo badalado e turístico da cidade. Um local bem simples, atendimento familiar, boa comida e por um preço mais do que justo.
Não espere encontrar iguarias aqui, não tem uni, não tem ostra, não tem vieira. Tem somente salmão e tilápia. Também não espere encontrar os sashimis em fatias lindas e grossas. Mas aqui tem arroz bem feito, sushis montados com dedicação, nori crocante, um molho tare muitíssimo gostoso, feito lá mesmo, e se der sorte, refeições servidas em pratos de cerâmica bonitos.

niguiri

Niguiris bem feitos

O salmon skin também surpreende: sequinho, crocante, fininho, cheio de sabor. Surpreendeu tanto que tivemos que pedir mais uma porção.

Ainda nao achei nenhum parecido com esse...

Não gastamos mais do que R$25 reais por pessoa. Pra comer um bom sushi, é um preço ótimo!

Fresquinho, o nori fica crocante!

Todas as fotos foram tiradas por Koji do blog Almoco na Paulista, nosso companheiro de viagens e comilanca! Nao deixem de visitar o blog dele.

Leiam também o blog que descobriu o hamatsu: http://desvendandofoz.blogspot.com/2009/10/hamatsu-restaurante-e-lanchonete-em-foz.html

Hamatsu | Av. República Argentina, 3830 – Foz do Iguacu

HOTEL TAROBÁ (Best Western) – FOZ DO IGUAÇU

Cataratas

Nas férias planejamos em conhecer melhor as cataratas, um dos destinos turísticos mais visitados do Brasil. Após várias pesquisas de preços, de localização, conforto, internet, café da manhã, escolhemos o Tarobá, em que pesou bastante o nome Best Western, um nome que não tinha nos decepcionado em nenhum dos outros hotéis da rede.
Tudo tem um porém, ou alguma exceção, e é o caso do Tarobá.

A localização achei ótima, bem no centro da cidade, a poucos minutos da concentração de restaurantes, e pra quem não está de carro, parece ser ideal, porque fica quase em frente ao terminal urbano de ônibus, e na mesma quadra de 2 ou 3 churrascarias. Tem também pontos de táxi em frente, dá pra negociar um bom preço pra quem quiser ir a Ciudad del Este fazer compras, o que não foi nosso caso. Dentro do hotel existe uma pequena agência de turismo que fecha pacotes para passeios e trilhas no parque das cataratas.

Na recepção, o recepcionista não tinha o melhor humor do mundo, não sei se gosta desse serviço, eu pensei que fosse uma coisa do dia, mas ele estava de cara amarrada o tempo todo, todos os dias. Diferente do assistente, bem solícito e prestativo, que fazia o trabalho com um sorriso no rosto. Um detalhe importante pra quem está de carro é o estacionamento (grátis) que fica localizado em uma rua diferente, e tem um acesso precário (e bem feio) ao hotel. O chão é de brita, o que pode dificultar o transporte das malas até o lobby.

Quarto Pequenino

O quarto é equipado com ar-condicionado, frigobar, TV a cabo (com programação inclusive do Paraguai), um armário e cofre pequenos. O tamanho é muito pequeno, quase sem espaço para circular, e ficaria difícil jantar no quarto, por exemplo, se fôssemos pedir room service. A cama é razoável, tanto no tamanho quanto no conforto. A internet wi-fi é gratuita e eu achei adequada (utilizei somente e-mail, msn e skype sem problemas).

O banheiro pequeno é funcional, e nada mais, sem mimos, nada além do básico e necessário. Toalhas boas, grandes e macias amenizam um pouco o problema, mas não tem lugar onde pendurá-las. Um detalhe foi que ao usar o chuveiro, ele estava quebrado, jorrando água por todo o banheiro. Avisamos a recepção e no dia seguinte estava tudo certo, funcionando perfeitamente.

Restaurante
Em uma das refeições resolvemos jantar no restaurante do hotel, que não se mostrou nada de mais. Somente pra matar a fome, sem nada brilhante, somente o preço um pouco salgado. Já o café da manhã serviam nada mais do que o correto, com pães, frios, sucos, iogurtes, uma variedade de frutas e pratos quentes como ovos mexidos, sopa paraguaia (uma boa surpresa!), salsichas.

Área de Lazer
No site consta que o hotel é esquipado com piscina, sauna, salão de jogos e fitness. A área da piscina era bem agradável, com mesas, deck, uma churrasqueira, mas não deu pra aproveitar muito pois tinha uma construção, a todo vapor, bem ao lado, muito perto, a menos de 3 metros, então não ficamos muito à vontade, principalmente as meninas, para ficar nesse espaço e usufruir da piscina. Tentamos então o fitness e salão de jogos, mas também não deu muito certo, porque os equipamentos precisam de uma boa manutenção, mas dá pra se divertir com a mesa de pebolim e tenis de mesa, além da mesa de carteado.
Rua Tarobá, 1048 – Centro Foz do Iguaçu – Foz do Iguaçu
Valor da diária em Maio/2011 para Casal: Em torno de R$ 250

 

Bia Kaffee – Campos do Jordão

Numa viagem a Taubaté, aproveitamos para dar uma esticada até Campos do Jordão, que é uma das nossas cidades preferidas, para dar uma volta e aproveitar o clima montanhoso. Resolvemos então experimentar o famoso Bia Kaffee, com proposta de uma refeição típica alemã.

O Bia Kaffee fica na Vila Capivari, bem próximo à Igreja, um tanto escondida, é verdade, mas aparece em todos os guias e mapas turísticos da cidade. A decoração é bem condizente com a cidade, com madeira escura, por dentro e por fora, imitando as cabanas de montanha.

Salão do Bia Kaffee

Chegando lá, o salão, pequeno e escuro, estava vazio, talvez por estar fora de temporada, e não fomos recebidos por nenhum dos atendentes ociosos. Ao perguntar se poderia escolher qualquer uma das mesas, eu fiquei surpreso com a resposta: “Faça o que quiser”.
Tudo bem, aceitamos a rudeza, e escolhemos nossos pratos.

torta de frango - Bia Kaffee

Torta de Frango

Kassler Primavera

O Kassler primavera : Carré de porco levemente defumado, acompanhado de batatas, chucrute e salsichão.

O pedido não demorou a chegar, mas fiquei desconfiado por escutar um ‘plim’ de microondas. Eu pensei que não teria problemas se o sabor fosse no mínimo delicioso, mas fiquei muito decepcionado. O chucrute estava mais pra doce do que azedo, e o kassler não tinha nem sabor de defumado, nem textura macia.O salsichão era a parte mais gostosa do prato, que custou fabulosos R$55.

Resumindo, uma decepção total, já começando pela alta expectativa, já que o Bia Kaffe é um dos restaurantes mais conhecidos de Campos do Jordão, tanto pelo atendimento quase grosseiro, e pela qualidade dos ingredientes e sabor, fora a apresentação.

Bia Kaffee| Rua Isola Orsi, 33 – Vila Capivari (Campos do Jordão)| Em torno de R$ 60 por pessoa.

KASSLER

Talvez pelo acontecido pelo Bia Kaffee, e por ter achado um Kassler no supermercado, fui tentar fazer um prato inspirado pelo do restaurante.

Ingredientes utilizados:
-Kassler já pronto, na embalagem
-Batatas
-Salada:
Repolho
Salsinha
Cebolinha
Vinagre
Azeite
Gergelim
Amêndoas em lascas
-Mostarda escura
-Alecrim para enfeitar

kassleremcasa

Feito em casa, mais bonito, mais gostoso.

Não tem muito segredo, o kassler foi cozido ao vapor, tal como as batatas (até ficarem macias). Já a salada dá um pouco mais de trabalho, já que o repolho, a salsinha e cebolinha têm que ser picadas bem fininhas, o gergelim e a amêndoa tem que ser torradinhos.Depois é só misturar todos os ingredientes e regar com o molho à base de azeite e vinagre.
Bem, garanto que o custo dos ingredientes para fazer o Kassler para 2 pessoas não passou de R$ 20.

 

San Michel Hotel Convention e SPA – Taubaté

Foi um dia só, para realização de uma prova na cidade, e escolhemos o San Michel para nos hospedar.
Bem localizado, perto do centro e de fácil acesso pela Rodovia Presidente Dutra, não tivemos dificuldade nenhuma em achá-lo.
O check in foi tranquilo e a recepção foi bem cordial.

Cama San Michel

Nao parece, mas é confortável

O quarto não é muito espaçoso, mas equipado com som ambiente (um tanto antigo), TV com canais pagos, frigobar e ar condicionado (bem barulhento).
Cama confortável e de um bom tamanho, lençóis macios e travesseiros aconchegantes.

bancada/apoio

E eu pensando que já estivessem extintos...

Checamos o banheiro, e também não muito espaçoso, mas necessita de uma boa reforma. Muitas marcas de umidade na área do box, louças já datadas e um pouco escuro. As toalhas acompanham o ritmo do banheiro, limpissimas mas bem finas e ásperas.

toalhas fininhas e ásperas...

Café da manhã sem surpresas, nem boas, nem ruins. Sucos, frutas, cereais, queijos, presunto, alguns tipos de pães, correto, mas nada memorável. O restaurante do hotel e os outros serviços (room service, lazer, etc) não foram utilizados pelo pouco tempo que permanecemos no hotel.
—-

Um hotel regular, sem surpresas. Poderia cobrar um pouco mais barato pela qualidade dos quartos. Não sei se voltaria a me hospedar, não sem antes ver as outras opções de Taubaté.

Vista pra cidade e pra serra da Mantiqueira

Localizacão: Av. Juscelino Kubistchek de Oliveira, 475  – muito próximo da via Dutra.
Valor da Diária em Outubro para casal : R$ 159,00